cine950.png

cine950.png
Blog dedicado a divulgação do Projeto História e Cinema, que discute o cinema como ferramenta pedagógica no trabalho com a disciplina História.

domingo, 30 de outubro de 2011

Cinema, História & Consciência Negra

criança negra na bandeira

“O grande desafio da escola é investir na superação da discriminação e dar a conhecer a riqueza representada pela diversidade étnico-cultural que compõe o patrimônio sociocultural brasileiro, valorizando a trajetória particular dos grupos que compõem a sociedade.” (Parâmetros Curriculares Nacionais) 

Dia da consciência negra

Mais uma vez o Projeto História & Cinema dedica o mês de novembro as atividades relacionadas à Consciência Negra. No entanto, vamos certamente ampliar, e muito, o que fizemos nos anos anteriores. Preparamos uma agenda com muita antecipação, e já estamos a cumpri-la, aliás. Os debates sobre o tema já estão sendo feitos desde o final de outubro no CEJA Joaquim Gomes Basílio. As professoras Ruth, Margarida, Rita, Lucília e Cláudia já apresentaram o tema para seus alunos e a socialização de textos e debates já prenunciam que esse ano poderemos, de fato, levar os estudantes a uma reflexão mais profunda sobre esse tema tão fundamental.

Durante o mês de novembro, os alunos farão a leitura de artigos que abordam o translado dos negros para o Brasil, o processo de escravidão, a resistência e a luta abolicionista. Estudaremos as contribuições dos negros no Brasil, a sua batalha por uma inserção justa na sociedade brasileira atual, e claro, o preconceito racial que ainda existe, infelizmente. Ao final dos debates serão produzidos cartazes sobre cada um desses subtemas, que serão expostos no dia 22 de novembro, durante a culminância de nossas atividades no CEJA. Nesse dia teremos apresentação de capoeira, comidas típicas africanas e palestras sobre o Dia Nacional da Consciência Negra.

mão branca e mão negra

E o cinema? Claro, os debates girarão em torno das produções que iremos exibir. Sim, dessa vez teremos duas datas. No dia 11 de novembro convidaremos os alunos a assistirem os curtas-metragens: A incrível história da mulher que mudou de cor e O Xadrez das Cores. No dia 18 exibiremos Invictus. Dirigido por Clint Eastwood, o filme Invictus conta a história do presidente sul african04o Nelson Mandela (Morgan Freeman) que usa o esporte para unir a população, durante uma copa do mundo no País. O detalhe é que a maioria dos jogadores do time são brancos que antes segregavam os negros. Habilmente Mandela dá ao país uma lição de como perdoar e superar as diferenças. 

Em o Xadrez das Cores, Cida, uma mulher negra de quarenta anos, vai trabalhar para Maria, uma velha de oitenta anos, viúva e sem filhos, que é extremamente racista. A relação entre as duas mulheres começa tumultuada, com Maria tripudiando em cima de Cida por ela ser negra. Cida atura a tudo em silêncio, por precisar do dinh01eiro, até que decide se vingar através de um jogo de xadrez. Este filme dirigido por Marco Schiavon em 2004, recebeu diversas premiações em festivais como o do Festival de Cinema Brasileiro de Miami, Festival de Cinema e Vídeo de Curitiba e do Jornada de Cinema da Bahia. Já em A incrível história da mulher que mudou de cor, dirigido por Marcelo Santiago em 2004, Mercedes é uma jovem e sonhadora empregada doméstica. Certo dia, algo estanho acontece: de negra que é, ela se torna branca. Esse acontecimento sobrenatural desencadeia circunstâncias constrangedoras em sua vida, quando descobre uma das facetas mais cruéis do preconceito racial. 

Iniciamos nossas atividades ainda em outubro, quando nos reunimos para montar uma programação em torno do tema Brasil Afro-descendente: conhecendo nossa identidade. Pois, como já mencionei, além dos trabalhos desenvolvidos tradicionalmente em torno dos filmes exibidos no CineHistória, teremos apresentação de capoeira, declamação de poesias, comidas típicas africanas, etc.Vejam como ficou nossa programação para os meses de outubro e novembro:

07/10  entrega dos textos aos professores para estudo individual e orientações sobre o Projeto;

14/10  estudo coletivo, socialização dos textos;

17/10  estudos dos textos com os alunos – debates;

20/10  estudo dos textos com os alunos – socialização;

09/11  estudo dos textos com os alunos;

11/11  exibição dos curtas-metragens: Xadrez das cores e A incrível história da mulher que mudou de cor;

16/11  alunos postarão seus comentários no blog do CineHistória;

14/11  produção dos trabalhos nas salas de aula;

18/11  exibição do longa-metragem Invictus;

21/11  ornamentação da escola;

22/11  culminância: exposição dos trabalhos, apresentação de poesia, música e capoeira.

Abaixo as fotos do dia do planejamento em que organizamos a programação:

IMAG0160 IMAG0162IMAG0164

não ao preconceito

Na escola Afonso Tavares de Luna continuaremos com nossa abordagem interdisciplinar. Dessa vez, contamos com a inserção de mais duas disciplinas: Geografia e Ensino Religioso. Nesta, a professora Euda trabalhará o conhecimento das religiões africanas e afro-brasileiras. Em Geografia, apresentarei uma coletânea de slides sobre o continente africano, suas características físicas e elementos espaço-culturais, seus povos, bem como sua interação com o ambiente, com foco na estrutura produtiva e macroeconômica.

Em História, discutiremos o translado dos africanos para o Brasil, ou seja, o escravismo colonial como fator propulsor do deslocamento dos povos vindos para o Brasil. Claro, estudaremos a escravidão em si, mas ressaltando a resistência a ela, nascedouro histórico daquilo que denominamos Consciência Negra. Por fim, falaremos sobre a situação dos afrodescendentes no Brasil de hoje, as políticas afirmativas, a sua inserção no mercado de trabalho e sobre o racismo velado que alguns estudiosos afirmam existir em nossa sociedade. É sobre a ideia de preconceito racial, principalmente, que tratam os dois curta-metragens que iremos exibir nas aulas de Artes. Como iremos fazer no CEJA, foram escolhidos O xadrez das cores e A incrível história da mulher que mudou de cor.

negros sorrindo

Além desses curtas, exibiremos também uma série de vídeos sobre o Dia Nacional da Consciência Negra, com o intuito de fomentar ainda mais o debate, que será estendido às aulas de Português, onde os alunos produzirão textos de opinião sobre os filmes e as aulas a respeito da cultura afro-brasileira. Lembrando que esses textos serão posteriormente digitados nas aulas de Informática, para depois serem postadas aqui no blog.

DSC00863

Para finalisar, a disciplina de Inglês contribuirá mais uma vez conosco, desta feita com a tradução de frases sobre o racismo e textos sobre a cultura africana. Pessoal, sei que com a contribuição de todos, o trabalho renderá aprendizado e refelxão. De antemão, muito obrigado.

jovens negros painel

Vejam abaixo um vídeo excelente sobre o tema que estamos trabalhando com trilha de Gabriel, o pensador.

11 comentários:

  1. Que bom que estamos trabalhando coletivamente esse tema tão importante que gera discussões bastante interessantes nas rodas de conversas nas salas de aulas entre alunos e professores. A participação efetiva do projeto Cinehistória está fazendo a diferença nos trabalhos nas salas, na produção dos textos e nos debates. Valeu a pena nos unirmos nesta ação.
    Socorro Moura - Coord.Escolar

    ResponderExcluir
  2. Estou ausente do Ceja, mais acompanho pelo blog, CONSCIÊNCIA NEGRA, com certeza, vai ser uma gradeza de descobertas de valores e temas questionantes. A valorização do Negro, como cidadão ou cidadã, é de suma importância, quem descrimina a raça, desconhece o ilustre valor que teve para a nação Brasieira e para o mundo, os Dvds escolhidos pelo nosso educador e equip, não poderia ser melhor, veremos a força, a garra, e a boa índole do negro no filme INVICTUS, esse filme deve ser o mais esperado, um homem fazendo valer a unidade, sem deixar transparecer vingança ou ódio, mas mãos estendidas a todos, brancos e negros. Aqui em INVICTUS, fica a sublime missão dos homens, ver os outros não pele ou pelo pose social, mas pela tarefa de prestar serviços e exercer cidadania, tentar corrigir a discriminação do passado que até hoje corrói a alma e fere o código da vida.
    O selecionado dos Negros que deram sua contribuiçãO DIMENSIONAL ao Brasil e ao mundo é incapaz de citá-los, mas podemos refletir um poema de grantidão e respeito:

    NA DOR SAGRENTA, SENZALA E NAVIOS.

    A vida transborda amor..
    A dança cura as feridas,
    A fé revigora a alma,
    E grito de Liberdade,
    Tem os seus dias contados
    Auforria e resultados,
    Das correntes libertados.


    O poeta Castro Alves,
    No seu poema épico,
    Ao açoite do chicote,
    Injustiça clama a Deus:
    Oh! Deus onde estais,
    Que Não responde,
    Em que Mares tu te escondes!


    O povo precisa unir-se
    Dentro dessa verdade,
    O grito de Liberdade,
    Deve está na mente e coração,
    E nossa maior ação
    É dizer Não! A descriminção.
    Porque o Negro, é bom cidadão,


    Bom Cidadão, respeito
    E gratidão, marca e garra,
    Nesse chão,
    A dança e o ritual,
    A fé e a culinária,
    Arte e beleza poética,
    Um legado fica.



    ZS >>> O Cavalheiro do Azul...
    In Ce, Santo Brejo, Brazil.
    I'm the agle that fly,
    My embrece to Josemar de Medeiros Cruz,Valdir Estrela,Josmey, Leda, Ruth and students.

    ResponderExcluir
  3. Ter consciência é uma capacidade rara atualmente. Pois estamos no mundo do individualismo exacerbado e da busca da superação individual, muitas vezes a qualquer preço. Talvez se não vivêssemos assim, não seria necessário ter um dia dedicado ao despertar dessa consciência pela valorização de uma herança cultural tão valiosa e visível em nossos costumes. Infelizmente o preconceito e as injustiças praticadas contra os negros clamavam por essa conscientização de que precisamos valorizar as pessoas, seus costumes, crenças, sua vida, independente de cor de pele. E não existe lugar mais adequado para fazer nascer essa consciência do que nas escolas. Daí a importância dos projetos interdisciplinares tratando desses temas, para desenvolver nas crianças, que serão os adultos futuros o respeito pelo outro.Professora Sandra.

    ResponderExcluir
  4. O Cine história esteve a todo vapor, na escola AFONSO TAVARES DE LUNA, na TIMBAÚBA, serra, onde o poeta Zé Santana, é o AMIGO DA ESCOLA,também só entra na sua hora.
    A convite do nosso ilustre educador, JOSEMAR DE MEDEIROS CRUZ, fui ontem dia 8/ll/2011, terça-feira, assitir e palestrar sobre o valor dos Dvds, de curta metragem, onde se foi estudado e trabalhado o tema CONSCIÊNCIA NEGRA. JOSEMAR fez palestra de abertura, falou sobre os imortais, in memórian, no brio de suas participações na vida social e cultural do nosso país, chamado Brasil. Adentrou em temas profundos e de valiosa superação negra, vencendo discriminação pelo estudo e pela humildade, pra mim o destaque desses DVDs, foi O XADREZ DAS CORES, esse filme foi premiado em vários lugares, inclusive na terra dos geniais americanos, em MAIME, e é de suma importância essa jóia rara do cinema, O XADREZ DAS CORES, enquanto JOSEMAR fazia a primeira palestra aula, eu começava estudar Os Dvds, e trouxe análise de vida e lição negra, nessa luta discriminatória, onde o estudo vence barreira e a boa ação, fria as duras provas de torturação da alma negra, sofrida pela persoangem de fibra e vigor.
    Os alunos, concentradíssimos, e quando eu entrei na segunda palestra, fazenda da aula um aquecimento do tema, de prontidão estudantes estavam de caneta e papel em pauta, de análise e comentários, fiquei surpreso ao ver comentários em prosas e versos, o que não acontece em escola nenhuma do município, nem mesmo do estado, aqueles crianças, adolescentes e jovens, devem ter um lugar de destaque na educação, porque eles consomem os ensinamentos trazido pelo Mestre, JOSEMAR; e o silêncio o comportamental, é incrível, e antes de chegar ao termino da produção cinematográfica, já se tinha lindos comentários, requeza de sentimentos que em breve muitos no cine história da Serra serão postados.
    O diretor PEDRO, tem um aval incrível, quando eu, o poeta Zé Santana, chega lá, também só vou prestar, meu pequeno trabalho como AMIGO DA ESCOLA, como amigo da escola só entro na minha hora, é o chamado de quem confia e sabe que vou despertar e trazer um novo olhar para educação, no caso CONSCIÊNCIA NEGRO, soltei a estatística que somos um país de pelo morena beirando quase 50% de negros, falei de suas herançae e legados, da musicalidade da dança, da dor e martírio, do espaço conquistado, na firmeza da alma, da pele morena,da genética elástica de um bom DNA.
    Eu sou uma pessoa que estudo e interpreto, os textos, muitos me vêem como professor, na verdade sou um EDUCADOR, comentarista e palestrante em diversas áreas, meu DOM foi o ESPÍRITO SANTO quem me deu, pelas mãos de Oração de NOSSSA SENHORA DAS GRAÇAS, minha devoção mariana.
    Um abraço ao grande diretor, PEDRO, e sua equipe de padrão educacinal incomparaável, impar no modelo de ensinar nos novos avanços tecnológicos, na ação CINE HISTÓRIA, com o professor JOSEMAR e auxilio the poet and writer(poeta e escritor), Zé Santana.
    A Escola : AFONSO TAVARES DE LUNA, não é nota 10, porque ela é 1000!!! , se nome deve ser escrito coM letras maiúsculaS, como também o diretor, PEDRO e JOSEMAR DE MEDEIROS CRUZ

    ZS >>> O Cavalheiro do Azul...
    The agle that fly...( A àguia que voa....).

    ResponderExcluir
  5. Leda, o que acho fundamental na educação é ensinar o aluno a aprender. E isso só se consegue com uma multiplicidade de estratégias. Aliar o uso da leitura de textos, com debates, produção de trabalhos e utilização de recursos audiovisuais conjuntamente vão produzir um resultado nesse sentido.

    ResponderExcluir
  6. Zé, muito bom o seu poema. Use sempre esse espaço quando quiser produzir algo sobre o tema que estivermos tratando. Sei que essa luta também é sua. Somos um povo de uma mesma raça, todos afro-descendentes.

    ResponderExcluir
  7. Professora Sandra, concordo com você. A escola é um lugar para formarmos essa nova consciência. Durante séculos a pregação do racismo, da inferiorização dos negros ecoou com mais força em nossa sociedade. Mas vamos mudar essa mentalidade.

    ResponderExcluir
  8. Zé, a exibição do Xadrex das Cores no Afonso foi mesmo muito proveitosa. Agradeço a tua presença no debate. Depois vamos postas as fotos aqui. Até mais!

    ResponderExcluir
  9. Infelizmente não posso estar presente nas exibições do cine história, mas acompanho permanentemente os trabalhos pelo blog. E em mais uma ocasião o cine história mostra o seu valor educativo, abordando um tema de suma importância que serve de reflexão e construção para uma sociedade mais justa. 20 de novembro traz para o miolo da sociedade brasileira uma “injeção” de reflexão e debate em torno da ideologia racista que é um advento histórico e problemático que infelizmente ainda esta arraigado em nossa sociedade. “O ideal erra que não precisasse discutir esse tema”. Com essas palavras Josemar de Medeiros cruz consegue mostrar como o negro deveria ser enxergado na sociedade atual. Ou seja, a consciência negra vem como um elemento que pretende inserir o negro na sociedade, mais isso já era para estar óbvio na cabeça das pessoas, pois o negro é efetivamente um cidadão como qualquer outra, pessoa ele tem direitos e deveres.

    Cordialmente.

    Valdir Estrela

    ResponderExcluir
  10. Valeu, Valdir. Senti tua falta nos dias em que exibimos os curtas-metragens O xadrez das cores e a incrível história da mulher que mudou de cor. Foi muito proveitoso. É verdade o que você disse. Toda essa discussão ainda é necessária, infelizmente. Mas tenho esperança de que um dia vivamos em uma sociedade sem preconceitos.

    ResponderExcluir
  11. Thiago Salviano Nascimento

    Recordo-me do ano de 2010, quando estavamos debatendo este mesmo tema, e diziamos justamente a mesma coisa: que, infelizmente, ainda era necessário ter uma discussão sobre a questão do preconceito. Isso porque ele ainda se faz presente em nossa sociedade. Assim como você meu caro amigo Josemar, tenho esperança de uma sociedade sem preconceito, e espero que um dia possamos discutir aqui no blog a "Era das Transmutações", onde o homem rompe de vez com as diferenças e com os valores hipócritas que nos foram pré-estabelecidos, onde nós quebraremos de uma vez por todas os espelhos de um mundo doente.

    ResponderExcluir