cine950.png

cine950.png
Blog dedicado a divulgação do Projeto História e Cinema, que discute o cinema como ferramenta pedagógica no trabalho com a disciplina História.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009


Nessa semana o CineHistória apresenta o filme O que é isso companheiro? que tem como argumento o livro homônimo de Fernando Gabeira, contando o extraordinário evento do sequestro do embaixador americano Charles Elbrick, durante a Ditadura Militar no Brasil. Após o AI-5, o famoso golpe dentro do golpe, os militares arrocham o regime e a perseguição aos "comunistas" se acentua, efetivando a tortura como prática sistemática e gerando revolta em parte da sociedade mais consciente do problema. Muitos jovens partiram para a luta armada. Entre eles, estava um grupo de jovens que tiveram uma idéia original: sequestrar o embaixador dos Estados Unidos para fazer com que a imprensa tivesse que divulgar o fato, além de conseguir a liberdação de alguns companheiros que estavam sendo torturados nos calabouços da ditadura.
O filme foi dirigido por Bruno Barreto e conta com um elenco muito bom: Fernanda Torres, Luís Fernando Guimarães, Alan Arkin, Selton Melo, Pedro Cardoso, Matheus Nachtergaele, Nelson Dantas, entre outros. A película foi indicada ao Oscar de melhor filme estrangeiro em 1998.
Bom pessoal, o que vocês acham desse filme como instrumento de discussão do conteúdo da Ditadura Militar no Brasil? Vocês que participam do projeto, o que acharam do filme?
Aguardo os comentários.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Breve Histórico do Projeto História e Cinema




Há dois meses começamos os encontros do Projeto História e Cinema. Aproveitamos o simbolismo da data, 11 de setembro, e exibimos o documentário In Plane Site. Essa película discute os fatídicos acontecimentos do 11/09 de 2001 nos Estados Unidos e que tão fortemente repercutiu em todo o mundo.

No entanto, o viés proposto pelo filme vai na contramão do que foi exposto na grande mídia, bem como os demais veículos de imprensa ao redor do globo. O que se discute durante a projeção é a verdade do discurso que nos foi apresentado. Será que um avião colidiu mesmo com o Pentágono? Será que eram realmente aviões comerciais que se chocaram com as torres gêmeas? Parecem perguntas absurdas. Mas ao percebermos as imagens com mais cuidado, somos inclinados a duvidar de muitas das nossas crenças. Devido a ótima acolhida ao filme, e atendendo a pedidos, exibi também o documentário Loose Change, uma espécie de continuação do In Plane Site, mas com novas revelações.

Sempre após a exibição do filme, temos a discussão dos principais temas abordados nele, e é entregue aos alunos do cursinho pré-vestibular que participam do projeto um banco de questões que são corrigidas e debatidas na semana seguinte. Quando o filme é longo, deixamos todas as discussões para a semana seguinte.

Tenho a preocupação, como coordenador do Projeto História e Cinema, de escolher primeiro os temas, daí faço a seleção de um filme que aborde o assunto, seguindo, evidentemente, também o critério da qualidade cinematográfica.

Dando seqüência as exibições, tivemos a apresentação do documentário História do Brasil, com Bóris Fausto. Produzido pelo MEC, nesse filme, basicamente uma entrevista com o historiador citado, vai-se expondo didática e resumidamente a história do Brasil. O foco principal da exibição desse vídeo foi a preparação do nosso alunado para o ENEM. Nessa categoria, ainda pretendo até o final desse ano, exibir o programa Vestibulando com o conteúdo de História Geral.

Mas talvez o melhor momento do nosso projeto até agora foi a exibição do filme Amistad. Aproveitamos a semana da Consciência Negra para isso. No dia 20 de novembro, exibimos o filme e debatemos a situação do negro no Brasil, com apresentação em slides de dados estatísticos que corroboram a grave desigualdade “racial” que temos no Brasil.

No próximo dia 27, teremos a apresentação do filme O que é isso companheiro?, onde abordaremos a ditadura militar no Brasil, os anos de chumbo.

Convido vocês, leitores deste blog, sejam cinéfilos, apaixonados por História, e aqueles que, principalmente, acreditam na utilização do cinema como ferramenta pedagógica, para contribuírem com sugestões para as próximas datas. Amigos professores de História espalhados por todo o Brasil que desenvolvam um projeto semelhante, ajudem-me com idéias que eu possa utilizar. Até mais!


Em breve estarei disponibilizando um espaço para que os participantes do projeto possam comentar os filmes exibidos.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Bem vindos ao CineHistória

Sou professor de História do Centro de Educação de Jovens e Adultos Joaquim Gomes Basílio, na cidade de Brejo Santo, e cinéfilo nas horas vagas, que infelizmente não são muitas. Para unir essas duas paixões, montei um projeto chamado História e Cinema, onde debatemos o conteúdo da disciplina História a partir da exibição de filmes que abordem os temas explorados nos livros didáticos.

O objetivo desse blog é ser mais um canal de debates. Após a exibição dos filmes, sempre as sextas-feiras à noite, fica aberto esse espaço para os participantes do projeto opinarem sobre o filme, bem como sugerirem outros temas e películas. Sei que ele vai ser um instrumento valioso nesse sentido.


Por que cinema e história?


Num momento em que se discute a inserção de novas tecnologias na educação, volta a pauta um tema bastante debatido e agora um pouco adormecido: a utilização do cinema como fonte de pesquisa para o historiador. Acho premente que discutamos também a utilização do cinema dentro da sala de aula, como fator gerador de uma nova dinâmica interdisciplinar.

Um filme jamais substituirá uma aula, mas pode, inegavelmente, contribuir para que o corpo discente desperte um interesse especial pelo tema apresentado por ele, e isso quase sempre acontece se: o filme for bem escolhido, houver um trabalho de preparação para assisti-lo e os alunos estarem ambientados com a proposta metodológica que envolve sua projeção.

Um filme jamais dará cabo de todas as principais questões que envolve um fato histórico. O próprio tempo de projeção impede isso. Nenhum filme dará cabo de todos os eventos importantes da II Guerra Mundial, ou da Revolução Russa ou mesmo da Revolta da Vacina. Ele apresentará uma versão recortada do acontecido. No entanto, o filme não deve ser visto como um instrumental completo, algo, como foi dito anteriormente, capaz de substituir a aula. Nenhuma ferramenta pedagógica se presta a esse fim. Talvez esse seja o ponto nevrálgico da discussão.

A projeção de um filme de guerra, um documentário, um drama de época ou um épico bíblico deve ter como finalidade a proposição de um elemento complementar, um meio de permitir ao aluno acesso ao recorte visual que a sociedade produziu sobre determinado tema, mas também proporcionar ao alunado uma reflexão em torno do fato, ou de como ele foi reconstruído visualmente. Nesse sentido, o filme não é necessariamente melhor ou pior que o livro.

Assistir um filme como Tempos Modernos não permitirá ao aluno conhecer a história da Revolução Industrial, suas fases, seus personagens, seus críticos, etc., mas acarretará uma problematização em torno das novas condições de trabalho do homem moderno, a sua própria coisificação e a produção em série de um novo homem. Num filme como Platoon, perceber como os Estados Unidos da América se relacionam com a Guerra do Vietnã, que eles nunca superaram emocionalmente. Ou, para citar mais um exemplo, o Resgate do Soldado Ryan, em que se pode explorar a violência dos conflitos militares.

Assim sendo, a proposta desse Projeto História e Cinema é basicamente proporcionar a partir da exibição de filmes com temáticas históricas, uma reflexão em torno dos eventos tratados na película, mas também tentar perceber como o recorte cinematográfico permite um entendimento da própria relação do homem com a história, posto que o cinema é uma forma de perpetuar uma determinada visão do passado.


Em breve, estarei postando um pequeno resumo dos eventos ligados ao Projeto História e Cinema acontecidos até aqui, assim como futuras datas de exibição. Espero a participação de todos aqueles que se interessam por História e Cinema. Até mais!