cine950.png

cine950.png
Blog dedicado a divulgação do Projeto História e Cinema, que discute o cinema como ferramenta pedagógica no trabalho com a disciplina História.

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Cine História 2011

platoon 1  platoon 6platoon capa

Companheiros do Projeto História e Cinema, conclamo vocês para retomarmos as atividades. Neste novo ano letivo que se inicia, espero que nosso projeto amadureça e quem sabe, continue sempre trilhando novos horizontes.

O primeiro filme a ser exibido será o já aguardado Platoon. Talvez o grande momento da carreira do diretor Oliver Stone. Esse filme foi o vencedor da nossa enquete sobre o melhor filme para se trabalhar o tema da Guerra do Vietnã. Assim sendo, essa será uma Oliver Stoneexibição especial, fugindo um pouco da nossa metodologia.  Na verdade, os seguidores do blog e alunos do Projeto já sabem, esse filme iria encerrar nossas atividades em 2010, mas por problemas na rede elétrica da escola a exibição não foi possível.

Platoon foi o grande premiado do Oscar em 1987. Além do prêmio máximo de melhor filme, recebeu também a estatueta de melhor direção, montagem e som. Esse foi um dos primeiros filmes do mainstream americano a ter uma visão mais crítica, mais negativa da participação dos Estados Unidos na Guerra do Vietnã, sendo em parte, inclusive, baseado na experiância do próprnascido em quatro de julhoio Oliver Stone na Guerra. Além de tantos sucessos de público e crítica, como Wall Street, The Doors e Salvador (filmes onde também podemos explorar um conteúdo histórico), Stone produziu mais dois importantes filmes sobre a Guerra do Vietnã: Nascido em 04 de Julho e Entre o Céu e o Terra.

Bem, falemos então um pouco sobre a Guerra do Vietnã à título de aquecimento para o filme. O Vietnã, assim como a maioria das nações africanas e do sudeste asiático, esteve sob o jugo imperialista europeu. Nesse caso, mesmo após a II Guerra Mundial, o território foi reassumido pelos franceses, que no início do século XX enfrentaram rebeliões e movimentos emancipatórios. Em 1939, foi inclusive criada uma liga pela independência, o Vietminh. Esses movimentos foram interrompidos quando os japoneses invadiram a Indochina durante a Grande Guerra.

A partir de 1946, o Vietminh, liderado por Ho Chi Minh, chega a formar um estado indenpendente no norte do Vietnã. Com isso, inicia-se os conflitos entre o Vietminh e as tropas francesas. Depois de três anos de batalhas, os franceses aceitam a independência do Vietnã, mas impõe Bao Dai como imperador. O Vietminh não aceita e continua a luta pelo controle total do país. Os franceses desistem da luta em 1954, retiram-se definitivamente e num armistício, decide-se pela divisão do território vietnamíta em Vietnã do Norte, comunista e governado por Ho Chi Minh; e Vietnã do Sul, monarquia encabeçada por Bao Dai. Este é deposto em 1955 por Ngo Dinh Diem, que proclamou uma república no Vietnã do Sul.

mapa

Forma-se no Vietnã do Sul uma guerrilha em prol da unifiação do país sob um domínio comunista, a Vietcong. Estes são apoiados pelo Vietnã do Norte. No ínterim desse conflito, entre vietcongs e militares do sul, custura-se uma solução pacífica: eleições gerais. O que deveria ser a solução, resulta em outro problema: havia uma forte tendência da vitória comunista e que incomodaria os Estados Unidos. platoon 2

Nesse ponto é importante ressaltar que esse evento precisa ser compreendido aos olhos de um contexto mais amplo: a Guerra Fria. Sem a disputa pelo controle global perpetrado pela URSS e EUA, esse conflito no sudeste asiático não teria a mesma dimensão nem tanta repercussão mundial. Pelo menos não ocorreria da maneira que se deu.

Bem, a partir da intervenção americana, que se inciou em 1961 e se intensificou em 1965 (dando apoio ao sul) a guerra ganhou proporções geopolíticas mais significativas. Extremamente violento, ela foi um divisor de águas na história dos conflitos humanos, pois foi praticamente exposta ao vivo pela TV, gerando protestos dentro dos Estados Unidos contra a participação americana na guerra.

Menina Os Estados Unidos chegaram a enviar mais de um milhão de soldados para a guerra, sendo que em seu auge chegou a ter 500 mil soldados na zona de conflito, com 46 mil mortes em decorrência dos combates. Claro que entre os vietnamitas morreram muitos mais. Devido aos fracassos na luta de guerrilha contra os vietcongos e a forte pressão da opinião pública que rejeitava a participação americana no conflito por entenderem não fazer sentido essa ação, aliado ao impacto das terríveis imagens da guerra divulgadas pela imprensa, em 1973 os Estados Unidos aceitam um cessar-fogo e em 1975 retiram-se da região. Com isso os comunistas unificam o país. tortura

Esse conflito é um campo extraordinário para quem pesquisa a relação entre cinema e História, pois muitos filmes americanos foram produzidos sobre ela, alguns com forte teor ideológico, ufanista e intencionalmente distorncendo os fatos históricos, quando não sugerindo uma realidade histórica paralela, pois a guerra do Vietnã havia terminado, mas a Guerra Fria continuava e o cinema era uma arma muito poderosa nesse jogo. Espero que esse filme possa estimular debates interessantes sobre esses temas.

tiro Em 2011, além das professoras Ruth e Margarida, que passaram a integrar o CineHistória em 2010, com as turmas do EJA fundamental; Lucília e Cláudia, professoras do EJA Médio do Centro de Educação de Jovens e Adultos Joaquim Gomes Basílio estão conosco a partir desse ano. Aumentando, portanto, o número de alunos que participarão diretamente das atividades ligadas ao projeto. Faço questão de ressaltar que continua o convite para os alunos do cursinho prevestibular, o projeto revisão de estudos, fazerem-se presentes nos dias das exibições das películas.

Bem, nosso esquema de trabalho continua. Em uma reunião com os professores colaboradores do projeto, escolhemos um tema. Esse tema será abordado em algumas aulas durante o mês e então marcaremos a culminância das atividades, com a exibição do filme. Após a exibição, propomos um debate. Continuaremos também contando com o fundamental apoio dos alunos colaboradores Zé Santana e Tony.

Pessoal, gostaria muito que esse debate que se inicia na sala de aula, continuasse aqui no blog. Acho que no final de 2010vítimas demos um grande passo nesse sentido, principalmente no tema da Consciência Negra, bastante debatido. É fundamental que após a exibição do filme, nós usemos esse blog para opiniarmos sobre seu conteúdo e sobre como podemos usar o filme na sala de aula. 

Conto com a presença dos alunos do CEJA Joaquim Gomes Basílio para a exibição de Platoon, e espero a participação de todos vocês nas demais atividades do Cine História.

17 comentários:

  1. Estamos de volta aqueles bons momentos, do cine história, com a super produção : PLATOON, é de suma importância a época dessa guerra do vietnã, no meio desse época bonita dos anos 60, o atropelo de uma guerra, tira a felicidade de muitos jovens. Que bom que antes de começar, num clima de escuta tocasse aquela música; ERA UM GAROTO QUE COM EU AMA OS BEATLES E OS RONI STONES,/ NÃO ERA BELO MAIS MESMO ASSIM HAVIA MIL GAROTAS,/ GIRAVA O MUNDO SEMPRE ASSIM A CANTAR AS COISAS LINDAS DA AMÉRICA / MAS UMA CARTA SEM ESPERAR / DA SUA GUITARRA SE SEPAROU,/ FOI CONVOCADO AO VIETNÃ...
    Os estudantes que assisterem esse filme, principalmente os do EJA, não connheceram esse momento sangrento e trágico. Mas era também uma das épocas mais bonitas da história juvenil, o poeta Zé Santana, ainda hoje chama os anos 60 a época de ouro. Mas dentro da beleza da época aparece a doentia guerra de duros conflitos no Vietnã. A dor de muitos jovens e famílias, manchou um pouco nossa época em que os HIPPIES se levantavam e falavam de PAZ e AMOR...
    Tenho certeza que esse filme, PALTOON, conheceremos as nações, suas guerrilhas e as dores angustiantes de suas pobres vítimas.

    Deixo meu abraço, aos Professores, Josemar, Josmey,Ruth, Margarida. A Diretora e sua a boa equipe : Maria do Carmo, Ledinha, Tia Lurdes,Maria de Fátima Shirley Maria e Anair e sua gastronomia.

    ResponderExcluir
  2. Estamos de volta, Zé Santana. Espero que possamos fazer um debate proveitoso. Zé, que outros filmes americanos você assistiu que abordam a Guerra do Vietnã? O que você acha dessa abordagem?

    ResponderExcluir
  3. Pessoal, aí vai duas dicas de filmes ambientados na Guerra do Vietnã: Apocalipse Now e O Franco Atirador. Não percam!

    ResponderExcluir
  4. Oh, até que enfim! Já tava sentindo falta das belas postagens do Josemar e das aulas de história que a turma do Cine História nos dá. Todos os dias acessava o blog e nada novo, hoje tive essa bela surpresa.

    Valeu rapazeada, sejam bem-vindos de volta.

    Vou está sempre os acompanhando!

    Dalvan Sousa

    ResponderExcluir
  5. Expectativa total para o retorno do cinehistoria.
    E o filme que abrilhanta a noite é PLAATON. Pelo que josemar fala deve ser exepcional.

    Valdir Estrela.

    ResponderExcluir
  6. Obrigado Dalvan, tua participação é sempre muito importante. Dei um tempo nas postagens porque estávamos sem aula com as turmas do presencial. Aproveitei para deixar dois meses com a última postagem no ar porque se tratava de uma revisão do que tínhamos feito em 2010. Para quem nunca tinha ecessado o blog era uma chace de conhecer um pouco do nosso trabalho. E aí, cara? Que filmes você assistiu sobre a Guerra do Vietnã? Assistiu Platoon? Vamos debater! Até mais!

    ResponderExcluir
  7. Valdir, o filme é excepcional mesmo! Nosso grupo de estudos tá quase começando. Aviso nos próximos dias!

    ResponderExcluir
  8. Pessoal, a Guerra do Vietnã, em minha opinião, é um cenário perfeito para a discussão cinema-história, para usar uma expressão clássica de Marc Ferro. É aquele princípio pelo qual sempre dizemos que a História é uma disciplina fantástica, pois mesmo que não possamos mudar o que aconteceu, podemos mudar o que dizemos sobre ele. A história estuda o passado, que não muda, mas mudamos constantemente a escrita da história. Acho que foi o que americanos quiseram fazer na década de oitenta usando o cinema. Tentaram vencer uma guerra que perderam. Tentatam inclusive concencer a si mesmo do seu papel de herói civilizatório. A guerra do Vietnã havia acabado, mas a Guerra Fria não. Quem assistiu Rambo II?

    ResponderExcluir
  9. Eu acredito que essa exibição vai especial, para todos, as vezes eu sinto falta de debates sobre a guerra do vietnã, não sei porque, pois é um assunto tão interessante. tenho certeza que será uma exibição impar na tela do cine-história. Aguardo a participação de todos e peço que tenham fervor pelo inicio do grupo de estudos meus caros amigos. Vamos colaborar para isso!

    ResponderExcluir
  10. Thiago, que tal fazermos um debate aqui no blog? Posso até dizer que esse foi o tema que me despertou para a relação entre História e Cinema, pois os primeiros filmes que assisti com uma temática histórica se referia a essa guerra, numa fase em que estava me interessando muito por História.

    ResponderExcluir
  11. Acho uma ótima ideia Josemar, então vou tentar puxar esse debate. Eu acredito que a questão crucial nesse tema é a interferencia dos EUA no conflito do vietnã e o proveito que eles tiraram, e talvez, ainda tiram, intervindo em conflitos exteriores. Na certa esse comentário é demasiado curto, mas serve para instigar o debate.

    ResponderExcluir
  12. Olá Josemar... Fiquei surpreso e muito contente em saber que existem pessoas que usam a net para algum proveito positivo. Parabéns pela iniciativa.

    Qto ao belíssimo Platoon, destaque para o som maravilhoso desde as pegadas dos soldados, os insetos às bombas e tiros nas batalhas. Chega-se a ouvir até o som do medo dos soldados. O papel absurdo de Tom Berenger (assustador) e o não menos absurdo Willem Dafoe. Que travam a batalha filosófica dentro de uma guerra insana muito bem tratada pelo excelente Stone que fala com propriedade de ex-combatente dos terrores do fronte. O que temos é uma visão bem realista do contexto político sem ufanismos ou maniqueismos, mas com a emoção sempre à flor da pele e repletos de cenas fortes como é o caso da antológica cena da queima da aldeia. Sobretudo revela uma guerra que fez perder a inocência do povo americano em saber que seus filhos estavam sendo trucidados em terras vietnamitas. Filhos esses que já trucidaram outros povos no passado. Mas, enquanto ouverem Nixons, Bushs (pais e filhos) com fome de guerra, se metendo sempre em guerras alheias e o valor magnifico ao velho três oitão e derivados, haverão mais vietnams, Irans e Iraques, Golfos Pérsicos e etc.

    George Lourenço.

    ResponderExcluir
  13. George, Platoon é um divisior de águas para mim. Pela primeira vez fiz uma pesquisa em livros de História por causa de um filme. Foi uma espécie de epifania. Sei que filmes como esse tem o poder de instigar discussões não só pedagógicas, ligadas ao ensino, por exemplo,mas levar a própria sociedade que o produz a uma reflexão sobre o seu papel na história.
    Assim como Tempos modernos, Nós que aqui estamos, por vós esperamos, A lista de Schindler e tantos outros, Platoon me trouxe a convicção de que o cinema poderia ser uma ferramenta importante para despertar o interesse dos alunos pela História. Hoje acho que essa relação é indispensável.
    Agradeço a tua participação! Espero que continue aqui conosco nos outros temas.
    Valeu!

    ResponderExcluir
  14. Pessoal, depois dos problemas na rede elétrica da escola terem sido resolvidos, retomanos nossas atividades. Estou terminando de fazer a apresentação do projeto nas turmas do EJA médio e Fundamental. Logo exibiremos Platoon e daremos início as discussões sobre o a relação entre humanidade e trabalho no mês de maio.
    Estou aguardando os comentários sobre Platoon e Guerra do Vietnã.
    Até mais!

    ResponderExcluir
  15. PLANTOON - É uma guerra de jovens despreparados para um luta, que impera vitória, onde o inferno foge a razão, e as dores são companhias do dia-a-dia. Quem assiste platoon, conhece o pesos da dor de persagens como aquele sargento baleado por um elemento do batalhão, e a cena gora impactante quando ele luta pela vida, corrente todo ensangrentado e de joelho ergue os braços, como um louvor a Deus, e como quem queria continuar lutando; existem jogos de cenas na sequencia que demonstra a triste dor de uma guerra, o Vietnã em fogo, chamas, barulho e vícios.
    Assistir Plantoo, é viajar num sentimento pátrio dos E.U.A., e acompanhar bravura e ingenuidade, de mãos dados, tudo em defesa do páis.
    Plantoon - Precisa ser mais estudado e vê comentarista dedicados, em painel de internet e entenderemos melhor, a vida e a morte, na guerra do Vietnã, também os sonhos juvenis vazados.

    ZS >>> O Cavalheiro do Azul...
    The poet, Brejo Santo in Brazil.

    ResponderExcluir
  16. Os alunos do João Teles de Carvalho com a professora Socorro Inácio foram convidados pela escola Joaquim Gomes Basilio (ceja) par participar de um projeto que se acha cine história que foi criado pelo professor Josemar Medeiros.
    No dia agente assistiu á alguns filmes sobre o racismo.
    O primeiro filme foi, A mulher que mudou de cor: A mulher era uma negra e estava mudando de cor, mas era pensava que era de pele branca. O filho do patrão so queria ela uma alessiala mas se ela ficasse branca ele não queria mais.
    O segundo filme foi xadrez das cores,filme exelente.
    Os outros foram fatos de maiores nomes negros do mundo como, Bob Marley, Mussum e outros maiores ainda.
    Depois assistimos o filme que os próprios alunos do próprio colegio produziram sobre Bullyng que tinha uma garota negra e os garotos brancos faziam muitas coisas com ele.
    Assim que nos chegamos lá, nos fomos bem recebido, foi otimo.

    Escola João Teles de Carvalho

    Aluno: Kaio Henrique

    7º Ano " A "

    ResponderExcluir
  17. Vamos voltar ao Cine história, trazer algo despertativo, com OS MISERÁVEIS, a grande produção do maior DRAMATURGO DO MUNDO, VICTOR HUGO, vocês alunos conheceram o filme em duas etapas, primeiro o CLÁSSICO MUSICAL, que só entende quem ler o LIVRO, - OS MISERÁVEIS, depois eu tenho todo o livro, lido nas paginas do filme OS MISERÁVEIS, outra, vieram os melhores artistas do PLANETA, aquele artista, que é MUTANTE, das mãos, que saem espadas, depois diremos o nome dele, e o que fez o filme o gladiador também em contracena, aos nossos ilustres EDUCADORES, JOSMEY E JOSEMAR DE MEDEIROS CRUZ, darão mais detalhes e coordenadas. o Segundo filme aponto, será MEN OF HONOR ( Homens de Honra), também comprei em NATAL,RN. Quero completar outro filme do maior ADVOGADO DA ESCRITA, um brasileiro revolucionário, sabes que é ? JORGE AMADO, sua obra prima, tenho em mãos, - CAPITÃO DE ARREIA,ali, no desenrolar do filme todos entenderam que é falha da educação e do governado, que colocou papa na boca dos pobres brasileiro; e o nome dele? GETÚLIO VARGAS, um ditador, que teve um escritor que o questionou além de JORGE AMADO e, intitulou um livro : O PAI DOS TRABALHADORES? Uma resposta no ar, ou grito silencioso e meditativo, lend0 entendES, o que foi cartada política do populismo, e povo perdeu com isso, falta de cultura e c0nhecimento, os pobres escolhem o pior.Outro apontamento que ainda estou em estudos, lembrei-me muito de JOSEMAR e seus filhos, SOFIA E O GUITARRISTA, e qual é o filme ? TEIA DE CHOCOLATE, comprei também em NATAL,RN, numa promoção, esse DVD, custa na faixa de R$ 60,00. E sabe por quanto comprei ? por R$ 1,99, na promoção, e outra original, e com uma embalagem fantástica, coisa de mídia de primeiro mundo. Eu pesquisei o ano passado, mas deixei chegar a promoção, e chegou, tenho em mãos, estou terminando o estudo, e já extrai o diálogo, que podemos fazer uma pequena representação TEATRAL, claro, decorado, pois o diálogo é entre O PAIe a FILHA, que ele, acha que tinha sido morta, e estava viva, e se apresenta o MESTRE DA MUSICALIDADE, um PIANISTA DE DONS INCRÍVEIS E POR INCRIVE, ELA surpresa, também, É PIANISTA, uma CARGA GENÉTICA, provada por A mais B, que no DNA existe. E ele, O PAI, deseja dar-lhe lições de músicas COM NOÇÕES FANTÁSTICAS da grade de segurança na ordem da gama PIANISTA, VIA MUNDO, para a linda jovem filha encontrada. BELÍSSIMOS CINEASTRAS TEM O MUNDO, e BOM CINEMA E COMENTARISTAS TEM O CEJA, JOAQUIM GOMES BASÍLIO, pois temos também o apoio da grande equipe recente eleita, MARIA DO CARMO, JOSMEY, TIA LURDES E LEDINHA, gente fina e boa linha educaci0nal, tenho dito e me identifico, sou JOSÉ MARCELINO DA ROCHA, EL POETA, ZÉ SANTANA... aluno cooperador do CINEMA DO CEJA. O que escrevi é data de 17/9/2013, ok? >>> ... 54 - 14,

    ResponderExcluir