cine950.png

cine950.png
Blog dedicado a divulgação do Projeto História e Cinema, que discute o cinema como ferramenta pedagógica no trabalho com a disciplina História.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Quanto vale ou é por quilo?

Pessoal, muito obrigado pela presença de vocês na culminância do tema Consciência Negra. Agradeço as professoras que trabalharam o assunto em suas aulas, a partir do material que nós selecionamos e especialmente aos alunos que compareceram a exibição dos filmes.

Mesmo os debates tendo sido realizados durante as aulas, fiz questão de mencionar as razões de trabalharmos esse tema, onde exploramos a questão do racismo e da participação dos negros na constituição da cultura brasileira, bem como dos outros campos de ação social em que estão inseridos.

negros e brancos 2

Como disse Nelson Mandela: “Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, por sua origem ou ainda por sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender; e se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar.” Acho que através da educação, do conhecimento da nossa história, podemos construir um futuro em que discussões sobre preconceito racial não faça mais sentido. Mas para isso, é preciso que as pessoas que têm essa consciência ajam, pois como disse Martin Luther King: “o que me assusta é o silêncio dos bons”.

IMAG0230

Bem, no último dia 17 contamos também com a presença do acadêmico de História Tiago, ex-aluno do nosso pré-vestibular e que está pesquisando sobre a relação entre História e Cinema para o seu trabalho de conclusão de curso. Obrigado Valdir, também acadêmico da Urca, curso de Geografia, pelo seu comparecimento mais uma vez. Agradeço também a participação de vocês aqui no blog. Espero que vocês sempre participem do debate.

IMAG0233

Colegas, por falar em debate, convoco todos a continuá-lo a partir dessa postagem, que só estou fazendo para registrar as imagens desse momento especial. Essa convocação estendo a todos da comunidade escolar, pois anseio que este espaço se transforme em uma oportunidade para conversarmos sobre temas fundamentais do universo educacional. Vamos lá!

IMAG0232

IMAG0194 IMAG0196Isso posto, quero avisar que a última sessão desse ano, em dezembro, será com o filme Platoon. Como combinei, o filme que ganhasse a nossa enquete sobre o melhor longa para trabalharmos o conteúdo da Guerra do Vietnã seria exibido no final do ano. Assim, essa extraordinária película dirigida por Oliver Stone fecha com classe nossas atividades em 2010.

platoon 1Para finalizar, quero dizer a todos que a participação do Cine História na Feira Regional de Ciências foi um importante passo na divulgação de nosso projeto. No final do ano vou deixar uma postagem especial sobre esse evento, com muitas fotos e talvez com o vídeo que foi apresentado durante a feira e que resume as atividades do Projeto História e Cinema.

PIC_3052 Aguardo os comentários e até a próxima!

30 comentários:

  1. Meus caros amigos do Cine História (Josemar, Zé Santana, Tony e muitos outros) é sempre bom debater temas tão importantes, tão antigos, porém tão atuais. O mais importante ainda é proporcionar esse debate entre a classe discente que, na maioria da vezes, se porta sempre de forma passível, sem nenhuma visão critica da realidade ou responsabilidade social. O projeto é tão inovador, que quando acesso e leio as postagens, percebo que o ensino de história deveria partir dessa perspectiva: a do debate, da análise, da vivência, da analogia, da cosncientização.

    Estaremos juntos no ano que se avizinha, talvez até de forma mais direta, digo, pessoal.

    Ah, a propósito, também fizemos a culminância do projeto Raízes Afro Brasileira, em consonancia com o Dia da Consciencia Negra. Foi muito bacana!

    Acesse: www.sedub.blogspot.com e veja toda a cobertura (fotos e vídeos).

    Dalvan Sousa

    ResponderExcluir
  2. O ensino de História deve ser justamente esse debate e não uma palestra onde só uma pessoa ministra, se todos nós somos agentes históricos então o ensino de História anseia por nossa participação e o projeto História e Cinema tem, ao meu ver, essa busca como um de seus objetivos.

    ResponderExcluir
  3. Dalvan, realmente conto com a tua participação aqui no ano que vem. Divulgue o blog para o pessoal que você sabe que gosta de usar as tecnologias da informação para fins educativos. Bem, sobre o tema Consciência Negra, espero que continuemos a debater a partir dessa postagem. Então, lanço o questionamento: o que é Consciência Negra?

    Até mais!

    ResponderExcluir
  4. Thiago, o debate é fundamental realmente. Quando os alunos se prepararem para as aulas, vão perceber que podemos produzir uma compreensão histórica juntos. O que fazemos com o tema Consciência Negra poderíamos fazer com qualquer assunto. É preciso que os estudantes compreendam a importância de estudarem os conteúdos em casa, de preferência fazerem uma leitura prévia antes da aula. Acho que o cinema é uma instigância nesse sentido. Existem outras, mas em História, a sétima arte configura-se numa ferramenta indispensável.

    Viu a pergunta que lancei para o Dalvan? O que é Consciência Negra?

    Até mais. Vamos preparar o nosso grupo de estudo sobre História e Cinema. Você está lendo os textos?

    Até mais!

    ResponderExcluir
  5. VALDIR ESTRELA.

    Todos na expectativa para começar o grupo de estudo. fiquei muito feliz pelo convite do professor josemar e fico mais feliz ainda em saber que vou conhecer algo a mais. pois Lembro que um dia uma pessoa me perguntou o porque de tanta impolgação em relação ao cinehistoria,já que sou estudante de geograia, mais logo em seguida perguntei se sabia o que era interdisciplinariedade, porque sou cadêmico de geografia não vou me prender aos velhos metodos educativos até porque o conhecimento nunca é inválido. Lembro que uma vez,fui para aula no sábado,mas um dia antes na sexta tinha assistido a uma exibição no cinehistoria,o filme era:1492 A CONQUISTA DO PARAISO. que por conhecidência o professor passou o mesmo para fazer um trabalho e apresentar, foi até engraçado pois ninguém sabia que filme se tratava pois nem legendado era.Por isso o conhecimento nunca é inválido. que pena que não fui escolhido para apresentar, mas dei muitas dicas aos meus colegas isso é que é gratificante. valeu amigos,até uma próxima.

    JOSÉ VALDIR ESTRELA DANTAS.

    ResponderExcluir
  6. É verdade Valdir, estamos todos na expectativa para o inicio do grupo de estudos. Eu também me sinto bastante gratificado pelo convite do professor Josemar. É uma verdadeira honra para mim. Valdir você está correto quando diz que o conhecimento nunca é inválido meu caro, não se deixe levar por certos comentários, pois o que nós sabemos é apenas uma gota e o que ignoramos é um oceano. Vamos continuar os debates.

    ResponderExcluir
  7. A Consciência Negra é a inserção do negro na história, é a construção da identidade cultural e a desconstrução do preconceito racial. é a valorização desse povo que foi de extrema importância para a nossa sociedade e que merece esse reconhecimento.

    ResponderExcluir
  8. valdir estrela

    Amigos do cinehistoria eu estou certo que esse projeto é voltado e baseado em uma concatenação
    de historia e cinema, mas isso não quer dizer que vamos fossilizar isso, até porque como comentei,esse projeto tem um teor interdisciplinar muito forte e que com isso possamos tomar proveito e atingir a nossa meta fundamental que é o conhecimento pois como o nosso colea tiago disse: o que sabemos é apenas
    uma gota o que ignoramos é um oceano.

    josé valdir estrela dantas

    ResponderExcluir
  9. Josemar - Que maravilhoso! É ver tantos ex-alunos que hoje cursando universidades que não quero tocar no nome da universidade, mas não esquecem o que fez e faz o cine história, que aliás, é o único da cidade, em produções cinematrográficas com atualidades acadêmicas, e um respeitavel padrão normal de avanço tecnológico. Os alunos do EJA e uma parte dos pré-vestibulandos, saem animados, porque antes de iniciar o filme, se tem praticamente uma aula prévia a respeito do filme, de 10 a 15 minutos, ora, com Josemar, ora com Zé Santana, fizemos unidades, sou cooperador, claro, valuntário, porque vejo que o CEJA, valoriza o AMIGO DA ESCOLA, e acredita no meu potencial, que só quero uma coisa, EDUCAÇÃO DE QUALIDADE E AVANÇOS TECNOLÓGICOS, por o atraso ficou para a trás, é como eu digo naquele expressão em inglês que repito no ORKUT - THE FUTURE IS HERE!(O futuro está aqui!), principalmente você que desja fazer HISTÒRIA ou DIREITO, a fonte, a nascente que te enriquece, é o cine história.
    Abra páginas do blog - vejam fotos, comentem e aprenda que não existe a invalidade para o aprendizado, como disse VALDIR ESTRELA, aluno de geografia de uma certa universidade, mas por ser muito inteligente, Valdir não perde o cine história, ele é meu amigo particular, e sou seu insentivado para ele fazer o curso de DIREITO, pois GEOGRAFIA, é um curso pequeno para ele, que como Zé Santana, não é uma galinha, mas uma Águia em pleno vôo em direção ao future que nos espera.
    Parabéns Josemar! Sucesso, não é só conquista, nem rótulo é uma marca registrada, CINEHISTORIAEDUC.BLOGSPOT.COM

    THE DEPH INTELIGENT - ZÉ SANTANA
    My embrace for you, big friend, ZS >>>

    ResponderExcluir
  10. VALDIR ESTRELA

    ZÉ SANTANA seus comentários me fortalece, por isso tenho você como amigo particular também,sempre vou respeitar o seu trabalho e o dom que deus lhe deu,que é fazer das palavras uma fórmula para amolecer o coração das pessoas por isso você é um poeta reconhecido por brejo santo e pelo brasil através dos meios de comunicação principalmente pela internet.você não é universitário e nem graduado mas é formado na faculdade da vida. muitos que são graduados por essa universidade que eu faço parte mas que você não prefere comentar pois sei dos seus problemas, muitos desses querem ter o dom que você tem mas ai sim o cohecimento se torna inválido pois seu conhecimento vem diretamente de deus enquanto os de alguns o conhecimento é artificial e não natural como o seu.

    um abraço meu célebre poeta.

    JOSÉ VALDIR ESTRELA DANTAS

    ResponderExcluir
  11. VALDIR - Obrigado por tudo, quando lhe escolhi como amigo, é como aquela frase de Deus: " Sei em quem pus minha confiança!" Você é merecedor dos créditos que te dou, sua universidade que não podemos falar o nome, ganhou muito com você, as vezes, os nomes das pssoas estão ligado no timbre da do adjetivo do nome, ESTRELA, por exemplo, é porque você nasceu para brilhar, e seu curso, como também o meu é DIREITO, vamos defender a causa dos pobres. Tenho um sonho de ser seu colega na UNIVERSIDADE pelo resultado do ENEM, graças a Deus essa universidade que você faz não está inscrita na listagem do ENEM, e nós podemos ir pra outra, e ninguém pode dizer seu curso é esse, é bom é esse, nada disso os inteligentes não nasceram para o domínio, o que diz os americanos sobre a internet, no estudo do WORD, os amarecanos dizem, " Você está entrando no maior banco de dados do mundo, não estude, domine!" Porque estudar é interpretar, lê intender e acrescentar algo mais, é o que vivenciamos no cinehistória temos nossa opinião formada, e cada um decide o que quer, nós aptamos DIREITO, e o ENEM e quem vai dizer nossos pontos, e o segredo é a arma do sucesso, não adianta descobrirmos nada sobre nós, esse tempo infantil, passou, receba só o que é bom, o conhecimento válido, da expressão estelar do amigo, VALDIR ESTRELA,
    Nossa amizade vai longe, o cinehistória vai ter um selecionado de homens estudiosos da história e do direito, e você e Zé Santana, estamos lá!!!

    Embrace my friend, THE DEPH INTELIGENT,
    THE FUTURE IS HERE!!! ZS >>>

    ResponderExcluir
  12. Thiago, acho que você pegou na veia a idéia de se trabalhar o tema Consciência Negra. Teus alunos estão de parabéns, pois se que você está explorando esse foco em tuas aulas. Valeu!

    ResponderExcluir
  13. E é ótimo que ignoramos muita coisa, Valdir. Imagine as coisas que ainda iremos descobrir. Sei que você, como eu, está sedento por esse conhecimento. É uma penas que muitas pessoas não sintam esse anseio. Como disse Goethe: “quem, de três milênios, não é capaz de se dar conta, vive na ignorância, na sombra, à mercê dos dias, do tempo”.

    ResponderExcluir
  14. E aí Zé Santana, o que é Consciência Negra? É importante haver uma lei que estimule a escola a trabalhar os temas ligados ao preconceito racial e a valorização da contribuição dos afro-descendentes no Brasil? Vamos esquentar o debate!

    ResponderExcluir
  15. Pessoal, vamos estimular os outros a participarem também. Vamos cobrar do pessoal suas opiniões. Conto com vocês!!!

    ResponderExcluir
  16. Pelo menos dei o maximo de mim pra trabalhar esse tema Josemar. A respeito das cobranças de participação você está correto, quero ver a postagem de Valdir e Zé Santana dando sua opinião sobre o que é a conciência negra. Tenho certeza que a opinião de ambos vai ajudar na construção de nosso conhecimento. Vamos lá Valdir, vamos lá Zé Santana,o que é Consciência Negra? estamos na espectativa de suas postagens respondendo essa indagação.

    ResponderExcluir
  17. Consciência Negra nada mais é do que um olhar igual para o negro, tendo a certeza do preconceito histórico e da mudança de mentalidade que vem se dando ao longo dos tempos, muitas delas disfarçadas; das políticas públicas, muitas vezes equivocadas, de reparo da dívida com a classe negra brasileira e dos discursos em prol do negro, alguns hipócritas de quem se coloca como defensor do negro somente para esconder seu profundo preconceito.
    Consciência negra não é ter consciência do racismo existente, nem promover assistencialismo ao negro como se ele fosse um eterno fraco e dependente de ações sociais meramente politiqueiras(isso é discurso batido). Consciência Negra é ver o negro como um cidadão comum que tem direitos e deveres como qualquer outro. E assim como todo e qualquer cidadão, o negro precisa estar atento ao desrespeito aos seus direitos e brigar para que o estado os cumpra. Por fim, consciência negra é a nossa união, união de um povo, de um país para vencermos as mazelas existentes em nosso meio.

    Valeu, um abraço a todos!

    Dalvan Sousa

    ResponderExcluir
  18. VALDIR ESTRELA

    o que é conciência negra? Eu vejo como um processo efetivo de inclusão do negro na sociedade.Não sei se leram meu comentário na página anterior mas ressaltei o papel "apagado" do negro na sociedade ou seja isso é antagônico a conciência negra, pois a mesma tem um papel esclarecedor do individuo negro no seu quadro social.E isso é pura lógica porque o negro é efetivamente um cidadão.Então essa construção imagético-discursivo que se tem do negro na sociedade é onde muitos se enganam,por isso aindam guardam ranços contra os negros.O que na verdade nunca era pra existir. Então a conciência negra é para quebrar e ter como base um papel esclarecedor e principalmente critico nesse imagético-discursivo que se tem sobre o negro.A conciência negra não é só uma simples data comemorativa,embora não seja vista de forma abrangente,mas para aqueles que tem visão
    critica como nós do cinehistoria,que buscamos efetivamente uma construção social,em frente a uma visão do real papel do negro na nossa sociedade,pois antes de mais nada todos nós somos seres humanos. valeu thiago.

    até uma próxima exibição!!!!!!

    josé valdir estrela dantas.

    ResponderExcluir
  19. Concordo plenamente com suas palavras meu caro Valdir, principalmente quando você diz que o negro é efetivamente um cidadão. E é por conta dessa premissa que acredito no discurso da não defesa do negro partindo sempre do ponto de vista da "ajuda", como se fossem sempre necessitados de assistência, entendo assim não serem capazes de vencer na vida por esforço próprio. O negro sofreu e ainda sofre, mas precisamos mudar o foco do discurso defensivo, pois se queremos, de fato, emancipar a classe negra brasileira precisamos vê-la como parte integrante da sociedade. E se o negro é parte integrante da sociedade, ele tanto precisa de ajuda como precisa e pode ajudar. Se ele é efetivamente um cidadão (e isso é lógico, óbvio) por que que o discurso de inclusão e defesa tem sempre que estar pautado no apelo, no socorro ao negro.

    ResponderExcluir
  20. Concordo plenamente com suas palavras meu caro Valdir, principalmente quando você diz que o negro é efetivamente um cidadão. E é por conta dessa premissa que acredito no discurso da não defesa do negro partindo sempre do ponto de vista da "ajuda", como se fossem sempre necessitados de assistência, entendo assim não serem capazes de vencer na vida por esforço próprio. O negro sofreu e ainda sofre, mas precisamos mudar o foco do discurso defensivo, pois se queremos, de fato, emancipar a classe negra brasileira precisamos vê-la como parte integrante da sociedade. E se o negro é parte integrante da sociedade, ele tanto precisa de ajuda como precisa e pode ajudar. Se ele é efetivamente um cidadão (e isso é lógico, óbvio) por que que o discurso de inclusão e defesa tem sempre que estar pautado no apelo, no socorro ao negro.

    Um abraço,

    Dalvan Sousa

    ResponderExcluir
  21. VALDIR ESTRELA
    Valeu Dalvam Sousa.E você esta com a plena razão
    pois não devemos tomar posse desse discurso defensivo em relação ao negro.Pois com isso ocorre uma acomodação por parte do próprio negro.Um exemplo clássico dessa defesa,posso até esta enganado, mas é o primeiro presidente negro dos estados unidos que nas eleições foi tratado como um deus porque o mesmo é negro.Mas pelo meu conhecimento os EUA passa pela sua maior catástrofe ecológica onde na minha opinião o presidente negro deveria tomar um posicionamento mais critico para conter o desastre.E outros fatores que não vou me alongar. DESCULPA A CRITICA,MAS ISSO TAMBÉM É CONCIÊNCIA NEGRA.

    JOSÉ VALDIR ESTRELA DANTAS

    ResponderExcluir
  22. Dalvan, gosto sempre de dizer que a consciência negra deve ser a consciência de todos nós. De enxergarmos a contribuição dos negros na construção da sociedade brasileira. Somos todos negros, brancos, índios, amarelos... a cor da pele não diz muita coisa historicamente

    ResponderExcluir
  23. Concordo com você Valdir. É importante entendermos que o debate desse tema serve a um esclarecimento. É preciso disseminar o conhecimento, evitando assim a construção de mitos absurdos, como o da inferioridade racial.

    ResponderExcluir
  24. Dalvan, eu também me incomodo um pouco com o discurso forçado de inclusão pela alegação de compensar o passado de exploração escravocrata. Às vezes me lembra um pouco os argumentos pra a criação do Estado de Israel, atitude da qual sempre fui contrário. Bem, tomara que as tais medidas afirmativas que vem sendo aplicadas surtam o efeito esperado e não gerem outras formas de preconceito. É uma discussão que dá pano pra manga, sem dúvida.

    ResponderExcluir
  25. Josemar, sem sombra de dúvidas, é um assunto que dá muito pano pra manga. Mas, voltando a questão do discurso pautado sempre no apelo por uma legitimação que já existe, só não é respeita assim como em muitos outros casos, o mesmo discurso acontece com os nordestinos ou o nordeste (dá no mesmo!). Não precisamos nos defender partindo sempre da condição de vítimas. Temos que nos afirmar e legitimar nossa contribuição ao país como nordestinos, uns sofredores, outros vencedores, uns pequenos, outros grandes. Acredito que o discurso deva ser esse, do defensr-se, afirmar-se argumentando, encarando de frente e não se colocando como vítima histórica de um sistema ou disso ou daquilo. Agora, é importante afirmar: esse discurso não nega o contexto histórico de sofrimento, de percas, de mazelas sociais.

    É isso, um abraço ao Valdir, ao Zé Santana, ao Thiago, a você Josemar e todos do Cine História.

    Dalvan Sousa

    ResponderExcluir
  26. Parabéns Josemar e todos que fazem esse projeto, é muito importante tentarmos trazer um pouco de cultura pra essa cidade que é tão carente nesse ponto, é uma pena ver que nossa cidade nem secretária de cultura existe, parabéns também pelo blog. Siga em frente. divulgarei seu projeto e seu blog no blog do SÃO ROCK, depois veja lá: saorockbrejo.blogspot.com.
    Valeu!
    Jailson Gabriel de Melo

    ResponderExcluir
  27. Dalvan, você tocou no ponto importânte, que é essa questão do "discurso pautado sempre no apelo" como você mesmo afirmou corretamente, concordo com você, quando diz que o negro tem que construir uma identidade forte de pessoa capaz e não de vítima, porém eu gosto de acreditar essas medidas tomadas não tenham esse intuito e sim o de consolidar a integração do negro na sociedade, pois infelizmente ainda existem pessoas que negam esse fato. Nosso discurso é maravilhoso, ao meu ver, justamente por isso meus amigos, porque cada um de nós é um universo e temos visões diferentes. É isso que fortalece a construção do conhecimento a troca de opiniões, e todos os comentários estão de parabéns. Abraço!

    ResponderExcluir
  28. Dalvan, minha linha de raciocício segue mais ou menos nesse sentido. É preciso lutarmos por uma cultura de valorização dos grupos historicamente sem voz, mas nunca recorrendo a estereótipos de coitadinhos.

    ResponderExcluir
  29. Jailson, conheço o blog do São Rock, é super legal. Fico feliz com a tua postagem aqui no nosso CineHistória. Espero contar com a tua participação nas futuras discussões que travaremos. Teu conhecimento da sétima arte com certeza enngrandecerá nosso debate. Até a próxima!

    ResponderExcluir
  30. Foi pedido para falar de CONSCIÊNCIA NEGRA - Pra mim é não trair uma verdade, um preconceito tolo, achar que o branco é mais que o negro. A inteligência não se mede pela cor da pele, mas pelo desempenho de suas funções e da força que alavanca progresso e vida, e se eterniza no tempo.São tantas os negros que viveram essa força motriz que citamos a cima, que seria até uma injustiça, no calendario brasileiro ter tantas datas e não ter o DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA.
    Fico feliz em saber que mais da metade da raça brasileira, é de pele morena, e que na aparição de Nossa Senhora aos pescadores no rio paraiba, naquele vale ela quis dizer que o Brasil é do negro, do pobre, do pele queimada, que trás na palma da mão a ordem do progresso.
    Negro é gente, da gente, como dizer um programa de uma rádio do crato, gente que a cada dia ocupam espaços e desempenham tarefas e reportagens incríveis como uma gama deles que trabalham na REDE GLOBO e outro canais. Então, negro são os irmãos e os verdadeiros heróis brasileiros, comparados a eles só nossos queridos indíos; CONSCIÊNCIA NEGRA,é rever as penas, é aplaudir talentos, como MARCOS LÁZARO,e UM BATALHÃO DE ARTISTAS que tem a BAHIA, onde tudo começou, e outros estados nordestinos e sulistas, de ponta a ponta do nosso país tem negros ajudando construir essa nação e dar fim aos sistemas sociais, que o encurralaram por muitos anos, e ainda hoje tantos não queremos respeitar seus direitos e sua cidadania. Tem muito mais a falar de CONSCIÊNCIA NEGRA, ficam com o professor Tiago e Dalvan levar adiante a mensagem libertadora, no CINE HISTÓRIA Zé Santana e Josemar, preconceito lá não há!ZS >>>

    ResponderExcluir